À tona da sexualidade

À tona da sexualidade

À tona da sexualidadeA importância da sexualidade num casal pode ser mais ou menos relativa e sofre oscilações ao longo do tempo. À medida que o tempo passa devemos estar atentos à importância do sexo na relação do casal. No entanto, os fatos vão mostrando que aquilo que atrai o homem  e a mulher não é exatamente  a mesma cisa. O homem foca-se mais no aspeto físico, naquilo que os seus olhos conseguem ver, a mulher por sua vez procura o toque, o olhar, o carinho.

No que toca à sexualidade os tabus são um entrave ao casal. Torna-se por isso importante que o casal tenha intimidade para falar sobre o tema colocando de lado o preconceito. Nada disto implica que um dos elementos do casal tenha que se submeter a algo que de alguma forma fira os seus sentimentos, os seus valores pessoais. Qualquer iniciativa sexual dentro da intimidade de um casal deve ser realizada por comum acordo, mas só é possível sabermos o que é de comum acordo ou não, tendo a capacidade, a liberdade, a intimidade de falar abertamente sobre este mesmo assunto. 

Uma boa sexualidade pressupõe à partida que cada um dos elementos do casal conheça o seu corpo e esteja disponível, atento, aos sinais do corpo do outro. Como a sexualidade nas pessoas está em constante mutação, esta é uma tarefa que devemos manter sempre ativa. Mas não podemos encarar a sexualidade apenas como um ato físico, ela vai muito além disso. A sexualidade deve estar carregada de afeto, de partilhas, elogios, contemplações, sendo o diálogo uma ótima ferramenta para o fazer. 

Para conseguirmos manter-nos satisfeitos com a nossa sexualidade temos como ferramenta a criatividade, o diálogo e a afetividade, sendo que os medos, traumas, tabus, culpa, mas também os desejos, a curiosidade devem ser bem explícitos, respeitando os limites de cada um.

Brincar, beijar, trocar caricias, sentir o cheiro, o toque, tentando recuperar os sentimentos iniciais de uma relação, pode ser uma boa estratégia. Rir pode ser um bom remédio. 

Nada disto terá o mesmo valor se não nos alargarmos além do contexto “cama”, ou ato sexual em si. Para recuperarmos a nossa sexualidade é necessário primeiramente valorizar a sensualidade, é necessário estarem juntos, usufruírem juntos de tempo de qualidade para o casal, namorar, elogiando, cuidando e o diálogo, uma boa conversa, é, como em todos os casais a chave para o sucesso. 

Patricia Alves
Patricia AlvesPsicóloga Clínica e da Saúde
Mostrar mais Artigos
2018-09-29T18:38:34+00:00Setembro 29th, 2018|OP Angola, Patrícia Alves, Relações, Sexologia, Terapia conjugal|
Translate »