Os papéis da ansiedade na nossa vida

Os papéis da ansiedade na nossa vidaOs papéis da ansiedade na nossa vida

“Estou tão stressado!” – soa-nos tão familiar, certo? Existem diversas situações que despoletam sensações de ansiedade ou stress. E, por isso, a ansiedade pode instalar-se e condicionar a sua vida e o seu bem-estar. O que podemos, então, acrescentar em relação a este tema? Partilho consigo 5 pontos:

  • O nosso corpo sabe quando estamos ansiosos, mesmo quando o cérebro ainda não o percebeu.

Às vezes não sabemos que estamos ansiosos. No entanto, mesmo que a sua mente não o reconheça, o seu corpo consegue fazê-lo. Alguns sintomas físicos incluem tensão muscular. Se sentir dores musculares e frequentemente encontra os seus punhos fechados e com o maxilar cerrado ou dores abdominais, estes podem ser sinais de ansiedade.

  • A ansiedade pode estar a disfarçar alguma zanga.

Na nossa sociedade, a ansiedade é mais aceitável do que a zanga. Por isso, por vezes, é-nos mais fácil substituirmos a ansiedade pela zanga. Assim, a ansiedade atua como uma defesa contra o facto de admitirmos que estamos zangados. Por outras palavras, podemos ter receio de expressar a nossa zanga em relação a um familiar ou ao companheiro, por isso, guardamo-la para nós mesmos. Ficamos ansiosos, os nossos pensamentos são rápidos e estamos constantemente preocupados.

Para perceber se a sua ansiedade é um disfarce de alguma zanga, quando se sentir ansioso, procure um lugar calmo, respire, e tente perceber se a sua ansiedade ou preocupação se transforma em alguma zanga em relação a algum tema.

  • Ansioso quando está com outras pessoas? Pode ser a ansiedade social.

Em casa a ansiedade diminui, mas quando está com outras pessoas ou há um evento que se aproxima, onde tem de interagir com os outros ou falar em público, a ansiedade torna-se excessiva. Se durante uma semana antes de um evento pensa em cada pequena coisa que pode correr mal, ou evita ir, ou se pensa em cada detalhe sobre tudo o que disse ou fez depois, podemos estar perante de uma ansiedade social. Alguns dos sintomas passam por dores no estômago, dores musculares, batimentos cardíacos acelerados e a sensação de que todos estão a observá-lo e a julgá-lo.

  • Se se sente constantemente ansioso, pode tratar-se da Ansiedade Generalizada.

Todos nós nos sentimos ansiosos de vez em quando, pois é uma resposta natural face a eventos stressantes e, por isso, quando a fonte de stress desaparece, também a ansiedade e a inquietação desaparecem. No entanto, se se sente ansioso constantemente, inquieto, com dificuldades de concentração e insónias durante seis meses ou mais, podemos estar a falar da Perturbação da Ansiedade Generalizada.

  • A ansiedade pode tornar-se em algo obsessivo.

A intolerância à incerteza é o combustível da preocupação. Quanto mais for intolerante à incerteza, tanto mais terá tendência a começar a colocar a si próprio perguntas do tipo “e se…?” “será que…?” que o levam à preocupação, e assim, podem tornar-se uma obsessão. Que outros tipos de obsessões existem? Se precisa de fazer verificações três vezes antes de sair de casa e este comportamento condicionar a sua vida ou se a sua mente o conduz sempre para pensamentos indesejados ou para imagens angustiantes.

A ansiedade é algo normal e saudável, pelo que todos nós podemos esperar alguma ansiedade em determinados momentos. Mas também pode transformar-se num problema muito maior quando assume um papel determinante na nossa vida. Quando tal acontece é a altura de procurar ajuda.

Cristiana Pereira
Cristiana PereiraPsicóloga Clínica
Mostrar mais Artigos
2018-03-13T18:10:27+00:00 Março 13th, 2018|Ansiedade, Cristiana Pereira, Stress|
Translate »