Como lidar com a baixa tolerância à frustração

Como lidar com a baixa tolerância à frustração

Como lidar com a baixa tolerância à frustraçãoA frustração é uma reacção emocional que surge quando queremos alcançar um objectivo e há algo que nos impede essa acção. É uma experiência desagradável quando as coisas não estão a correr da forma que gostaríamos que corressem, precisamente num momento em que estamos a tentar fazer algo, como imprimir um documento, convencer um amigo a ir a um jantar ou perder o comboio. Nestes momentos surge um problema: o papel encrava na impressora, o seu amigo não alinha consigo ou havia mais trânsito do que o habitual até chegar à estação de comboios.

Ao contrário de outras emoções, como a raiva, não há um candidato claro para atribuir a culpa num evento frustrante – muito possivelmente só a nós próprios. A impressora não é culpada, talvez o fabricante seja, mas esse não é o foco da frustração. Nem o amigo, que tem todo o direito em não querer acompanhá-lo ao jantar. Para algumas pessoas pode ser difícil não culpar os outros pelas suas adversidades, pelo que a frustração pode conduzir-nos à raiva. Alguém que perde o comboio pode culpar a empresa ferroviária, mesmo que o comboio cumpra exactamente o seu horário, ou argumentar que os comboios estão sempre atrasados, excepto quando a pessoa se atrasa.

Quem nunca passou por situações assim? Considera-se uma pessoa com capacidade de tolerância à frustração ou é-lhe difícil gerir estes momentos?

Pessoas com alta tolerância à frustração são capazes de lidar com contratempos com sucesso. Por seu lado, aquelas com baixa tolerância à frustração, podem ficar frustradas com os obstáculos mais pequenos do dia-a-dia, desistindo facilmente dos desafios. A simples ideia de ter de esperar numa fila ou trabalhar em algo que não entendem, pode ser intolerável, por exemplo.

Felizmente, há algumas coisas que pode fazer para melhorar a sua tolerância à frustração.

O que acontece?

A tolerância à frustração é uma componente essencial do bem-estar psicológico. Os indivíduos que conseguem lidar com os imprevistos tendem a persistir no alcance dos seus objetivos, o que pode contribuir para o seu bem-estar e para a motivação de querer alcançar mais ainda.

Tal como foi referido acima, aqueles com baixa tolerância à frustração podem desistir facilmente ou evitar tarefas desafiantes por completo, o que pode afetar também diversas áreas da sua vida, como os relacionamentos. Por isso, podem ter a tendência de “atacar” quando estão frustrados, de serem impacientes em relação a comportamentos dos seus parceiros ou intolerantes em situações quotidianas (como esperar por uma mesa no restaurante), o que pode conduzir a um aumento da tensão no relacionamento.

Factores que podem contribuir para a baixa tolerância à frustração

Há várias razões pelas quais algumas pessoas se deparam com baixa tolerância à frustração:

Saúde mental: As condições da saúde mental, como a depressão e a ansiedade, podem diminuir a tolerância à frustração. Alguns estudos também revelam que indivíduos com Perturbação de Hiperactividade/Défice de Atenção também tendem a ser menos tolerantes à frustração.

Sistemas de crenças: As crenças também desempenham um papel na tolerância à frustração. Uma pessoa que pensa coisas como “A vida é fácil” ou “As outras pessoas devem corresponder sempre às minhas expectativas” será menos tolerante aos obstáculos do dia-a-dia.

Detectar os sinais da baixa tolerância à frustração

A baixa tolerância à frustração pode ser sentida de formas diferentes. Aqui estão alguns sinais comuns:

  • Adiar tarefas frequentemente por estarem associadas a algo difícil ou aborrecido;
  • Evitar tarefas que possam causar angústia;
  • Tentativas impulsivas de “consertar” uma situação devido à impaciência, em vez de esperar que o problema se corrija;
  • Desconforto temporário exagerado;
  • Insistir em obter a gratificação imediata;
  • Desistir imediatamente quando confrontado com um desafio ou obstáculo;
  • Irritação ou zanga crescentes face às adversidades do dia-a-dia
  • Pensar ou insistir na ideia, “Eu não suporto isto”.

Criar tolerância à frustração

A boa notícia é que podemos aprender a lidar com a frustração. Com prática e dedicação consistentes, podemos diminuir a sua intensidade e aprender a expressar o que sentimos ou pensamos de forma adequada.

Aceitar situações difíceis

A frustração é alimentada por pensamentos como “Estas coisas acontecem sempre comigo!” ou “Porque é que o trânsito tem de ser tão mau todos os dias? Isto é horrível.” Tente responder a afirmações exageradamente negativas com outras mais realistas. Por exemplo, em vez de pensar na injustiça dos engarrafamentos, lembre-se: “Existem milhões de carros na estrada todos os dias, os engarrafamentos vão acontecer.”

Quando se deparar com a injustiça da vida, tente perceber se é uma situação em que pode fazer algo diferente ou se precisa de mudar a sua resposta. Se a situação fugir do seu controlo, não haverá outra forma, senão aprender a aceitar.

Fale consigo mesmo

A frustração pode surgir por duvidar da sua capacidade de tolerar o sofrimento. Pensar que “não suporto esperar na fila” ou “estou sobrecarregado demais para tentar novamente” aumentará sua frustração. Estes tipos de pensamentos também podem impedi-lo de executar tarefas que podem levá-lo a sentir-se frustrado.

Lembre-se de que pode lidar com sentimentos angustiantes: seja a respirar fundo e tentar novamente ou contar até 10 quando está zangado, experimente estratégias para lidar com a frustração de uma forma saudável.

Aprenda a acalmar o seu corpo

A frustração pode despoletar sintomas fisiológicos, como o aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial.

Saber como acalmar o corpo pode ser a chave para acalmar a mente: respirações profundas, meditação, relaxamento muscular progressivo e atividade física são algumas das estratégias que podem ajudá-lo a gerir os sintomas físicos da frustração.

Experimente diferentes estratégias de relaxamento até descobrir o que funciona para si. Quando a frustração começar a aumentar, acalme o seu corpo antes que os sintomas se tornem muito intensos.

Pratique a tolerância à frustração

Assim como qualquer outra aptidão, a tolerância à frustração requer prática. Comece devagar e ponha em prática este treino.

Experimente, por exemplo, fazer algo que seja levemente frustrante, como fazer um quebra-cabeças difícil ou esperar numa longa fila. Gira o seu diálogo interno e use as estratégias para acalmar os sintomas físicos.

Quando conseguir gerir a sua frustração, ganhará confiança na sua capacidade de tolerar problemas. E, assim, com o tempo, poderá expor-se gradualmente a situações cada vez mais frustrantes.

Qual foi o interesse que este artigo teve para si?

3.6
3,6 rating
3.6 em 5 estrelas (total de 8 avaliações)
Excelente!38%
Muito bom37%
Assim, assim0%
Fraco0%
Péssimo25%
31/07/2020

Creio que está bastante bem.

Rui Correia
24/07/2020

Perfeito o texto, esclareceu algo que descobri ontem na terapia sobre mim. Irei trabalhar isso

Rocha
15/07/2020

São informações importantes e tem dicas interessantes.

Aline
14/07/2020

Adorei! Me vi toda nas descrição acima. Conseguir perceber que o meu maior problema estava na minha grande dificuldade em lidar com as frustrações da vida. Assim não me sentindo capaz
e auto- suficiente para qualquer situação. Seja ela favorável ou não.

Sheyla melo
13/07/2020

Interessante.

Emily
Cristiana Pereira
Cristiana PereiraPsicóloga Clínica
Load More Posts
Newsletter 3

A NOSSA NEWSLETTER

PODE MUDAR-LHE A VIDA

  • Recheada de informações úteis da Psicologia para MELHORAR A SUA VIDA

  • É GRATUITA

  • GANHA logo um curso de RESPIRAÇÃO CALMANTE

  • Só lê se quiser

  • De PRESENTE, também recebe um GUIA para o conforto do SISTEMA NERVOSO

  • Desiste quando quiser (mas nós ficamos tristes…)

  • Fica a saber mais de Psicologia do que o seu vizinho

  • Ninguém sabe que a recebe

  • Não se arrisca a perder os nossos PRESENTES e PROMOÇÕES exclusivos

  • Sabe tudo primeiro do que os outros

2020-06-10T12:42:25+01:00Junho 10th, 2020|Ansiedade, Bem-estar, Cristiana Pereira, Emoções|
Go to Top