Corpo, liberta-me!

Corpo, liberta-me!

Corpo, liberta-me!

Olhar para o espelho e ficar obcecada!

Com as borbulhas que pareciam “tumores”,  o sinal que parecia uma verruga, ou  as pernas que mais gordas que pareciam troncos … Evitar sair de casa porque as maminhas que começavam a despontar pareciam seios volumosos e desproporcionados… Usar camisolas de manga comprida em pleno Verão para tapar os pêlos que pareciam de urso! Sim, eu ficava fixada no espelho da casa de banho e o que via … era terrível e assustador! Escondia dos meus amigos. Tinha 16 anos e  estava em plena adolescência. O meu corpo e imagem controlavam a minha vida, e durante muitos anos o meu corpo foi uma prisão!”

Esta história é-lhe familiar? Lembra-se da adolescência?  Da sua, das suas amigas ou amigos ou mesmo de um filho ou filha? Quando o corpo começa a mudar, a transformar-se, a amadurecer e muitas vezes de forma demasiado rápida e assustadora, sem dar tempo de adaptação e integração das diferenças. Lembra-se dos pensamentos estranhos, ambivalentes (que bom crescer e que mau desta forma) que desassossegavam e perturbavam? Que bom quando passa esta fase!

E se não passar?

Se o corpo nos impede de viver a nossa vida, de nos envolvermos nas atividades, de estarmos com amigos, pode ser um sinal de uma Perturbação do Comportamento alimentar mas,  também pode ser Dismorfia Corporal, outra perturbação relacionada com a imagem e o bem estar com o corpo e que pode impedir a liberdade de estar e de ser.

Embora estas duas perturbações apresentem semelhanças e se confundam por vezes uma com a outra, é importante reconhecer as suas diferenças pois o tratamento é distinto.

A  Dismorfia Corporal consiste numa preocupação excessiva com uma imperfeição ou defeito na aparência física que pode nem sequer existir.  A sensação de que todos reparam e não acham normal,  desprezam e se querem afastar, está sempre presente. O desconforto é enorme e a vergonha, ansiedade e uma enorme tristeza começam a instalar-se. Deixar de ir à escola ou à faculdade, de sair com amigos ou mesmo ir trabalhar e ficar prisioneiro de um corpo que se vê como feio, desprezível, imperfeito,  … horrível, é o passo seguinte  que agrava o sofrimento e prejudica todo o funcionamento do dia a dia.

Mas estes pensamentos intrusivos e perturbadores não vêm sozinhos, com eles trazem comportamentos repetitivos difíceis de resistir e controlar. Consomem tempo e perturbam o cumprimento das tarefas diárias. Verificações repetidas ao espelho para ver se se conseguiu esconder as imperfeições com a maquilhagem, a roupa larga e de número superior, ou o boné que se verifica se enfiado até ao nariz tapou a “torta cana do nariz”, comprometem horários, combinações, a atenção e a concentração. Esta é uma perturbação do espectro obsessivo-compulsivo.

As Perturbações do Comportamento Alimentar são doenças muitas vezes com risco de vida, com alterações severas do comportamento alimentar e dos pensamentos e emoções que se relacionam com a alimentação. Há preocupação com o que se come e com o tamanho e forma do corpo.

As perturbações do Comportamento Alimentar podem ser: Anorexia Nervosa, Compulsão Alimentar, Bulimia Nervosa.

E como é que os sintomas  nestas duas Perturbações se sobrepõem?

Quer numa perturbação quer na outra a imagem corporal assume um papel de destaque e de controlo dos pensamentos, emoções e comportamentos. Os pensamentos intrusivos  de falta de adequação e os comportamentos repetitivos de verificação constante provocam vergonha, tristeza, isolamento social e prejuízo da vida do dia a dia. E andam de mãos dadas com a reduzida auto-estima e a depressão.

Embora as semelhanças tornem difícil distinguir as duas Perturbações há algumas diferenças chave.

Para que um  diagnóstico de Perturbação do Comportamento Alimentar a alimentação tem de ser prejudicada de forma significativa. A Dismorfia Corporal não tem implicações em termos alimentares que embora possa por vezes existir é muito menos grave e problemática.

Também em termos corporais na Dismorfia, habitualmente, o foco é em partes específicas do corpo  como o nariz ou as orelhas e nas Perturbações do Comportamento Alimentar as preocupações são generalizadas a peso e forma do corpo.

Duas perguntas são fundamentais:

– A alimentação está prejudicada?

– A perturbação sobre a imagem corporal está focada em que área do corpo?

Nem sempre as respostas a estas pergunta são simples e as distinções verdadeiramente evidentes. As duas perturbações podem por vezes conviver juntas.

Confuso? Pois,  não é nem simples, nem preto ou branco. Estas perturbações são complexas, reais e terríveis e trazem dor e sofrimento para quem delas sofre, e impactam  família e amigos.

Um profissional qualificado poderá fazer o correto diagnóstico e selecionar as melhores e mais efetivas opções de tratamento.

É possível tratar estas Perturbações com sucesso, com esforço, persistência e apoio de profissionais de saúde, família e amigos  e recuperar o bem-estar.

O corpo pode ser fonte de prazer, liberdade, de afetos, tem tanto de bom para nos dar e proporcionar que não podemos deixar de prosseguir esta procura de liberdade e de vida.

O corpo não o liberta? Procure ajuda e liberte-se!

Dismorfia Corporal não é Perturbação Alimentar

Qual foi o interesse que este artigo teve para si?

5
5,0 rating
5 em 5 estrelas (total de 1 avaliações)
Excelente!100%
Muito bom0%
Assim, assim0%
Fraco0%
Péssimo0%
17/04/2019

Foi muito útil.! Até compartilhei no Facebook, para ajudar quem precisa.

Edison Eduardo Paula de Oliveira
Cristina Sousa Ferreira
Cristina Sousa FerreiraPsicóloga Clínica

Marque consulta comigo

Pretendo: (obrigatório)
Marcação de ConsultaInformações ou Reunião



Ao usar este formulário, concorda com o armazenamento e o gerenciamento dos seus dados por este site.

Mostrar mais Artigos
Newsletter 3

A NOSSA NEWSLETTER

PODE MUDAR-LHE A VIDA

  • Recheada de informações úteis da Psicologia para MELHORAR A SUA VIDA

  • É GRATUITA

  • GANHA logo um curso de RESPIRAÇÃO CALMANTE

  • Só lê se quiser

  • De PRESENTE, também recebe um GUIA para o conforto do SISTEMA NERVOSO

  • Desiste quando quiser (mas nós ficamos tristes…)

  • Fica a saber mais de Psicologia do que o seu vizinho

  • Ninguém sabe que a recebe

  • Não se arrisca a perder os nossos PRESENTES e PROMOÇÕES exclusivos

  • Sabe tudo primeiro do que os outros

Translate »