Quer que ele estude sozinho? Então vamos por partes. 1, 2, 3… e tudo outra vez!

Quer que ele estude sozinho? Então vamos por partes. 1,2, 3… e tudo outra vez! 

Quer que ele estude sozinho? Entao vamos por partes 1 2 3 e tudo outra vezQueremos que as crianças sejam cada vez mais autónomas na realização das suas tarefas, certo? Em simultâneo, percebemos que desenvolver a autonomia faz parte do próprio crescimento e que difere do ritmo de cada um. A boa notícia, é que podemos potenciá-la nos mais novos com estratégias específicas de autorregulação da aprendizagem. E o que quer dizer isso exatamente? Bom, na prática podemos traduzir isto em três passos: Planear, Executar e Rever. Treinando cada uma destas competências, estamos a promover a capacidade de uma criança regular aquilo que aprende, quanto da informação disponível aprende e como vai fazê-lo. Quer isto dizer, que estamos a preparar os mais novos para serem cada vez mais autónomos, reflexivos, curiosos, críticos e capazes de tomarem decisões conscientes. Parece-lhe bem? Vamos dar um exemplo de como, pode praticar estas competências usando uma tarefa escolar. Hoje o professor de matemática enviou uma página inteira de exercícios, para trabalho de casa.  

1º Planear o trabalho 

Com o seu filho avaliem a complexidade da tarefa, dividam por partes, se necessário. Sem resolver nada vejam uma questão de cada vez para perceber se há dúvidas. Incentive-o a tirar pequenas notas de como vai resolver o exercício e sublinhar palavras-chave para a resolução. Questione-o se já realizou algo parecido, isto vai ajudá-lo a pensar sobre as aprendizagens prévias e relembrar onde pode ir buscar informação útil para esta atividade. Em conjunto, verifiquem se tem todos os materiais necessários para a sua resolução (materiais de escrita, cálculo, caderno/manual para consulta, entre outros que considerem fundamentais), para não ter que interromper quando estiver a trabalhar. Estabeleçam o tempo para a realização (normalmente os mais novos precisam de ajuda neste ponto para ajustar para tempos mais realistas). Antes de passarem para a fase seguinte, garanta que não haverá pausas para ir à casa de banho e/ou para o lanche. Tudo isso já foi previamente satisfeito. 

2º Executar a tarefa 

Esta fase vai durar o tempo que planearam na 1ª fase. Aqui não há espaço para interromper, nem mesmo para esclarecer eventuais dúvidas (essas foram esclarecidas na fase anterior) e, caso essas surjam (que é normal!), a ideia é passarem à frente, fazerem tudo o que conseguirem até terminar o tempo estipulado. Nesta fase queremos também que os mais novos sigam o que planearam anteriormente, ou seja, que sigam as notas que tiraram de como fazer, que prestem atenção aos sublinhados, que respeitem os timings acordados, enfim, que sejam capazes de ir avaliando se estão ou não a cumprir o planeamento. Para isso, seja claro logo na fase sobre o que espera que ele faça nesta fase de execução. 

3º Rever o que foi feito 

Passamos para a 3ª fase e aqui sim, esclarece-se as dúvidas que surgiram durante a 2ª fase. Pousa-se o lápis e verifica-se em conjunto o trabalho feito. A ideia é dar-lhes a oportunidade de verbalizarem as suas dúvidas, o que conseguiram e não conseguiram resolver (e porquê? Porque é que eles acham que não conseguiram, o que terá falhado na 1ªfase? Talvez tenham ficado dúvidas? Deviam ter tirado mais notas?). Incentive-o a corrigir o seu trabalho em voz alta, para que o consiga ir “guiando” na correção. No entanto, lembrem-se, o lápis está pousado mas, pode e deve ser utilizado como na 1ª fase, apenas para pequenas notas e sublinhados orientadores da nova resolução e não para apagar e corrigir! Quer isto dizer que, a 3ªfase vai transformar-se num novo planeamento para executar o que ficou por fazer ou precisa ser corrigido. Tal como no início, definam novos tempos e quando passarem para a resolução (nova 2ª fase), o seu filho deverá estar a trabalhar de forma autónoma durante o tempo combinado. 

Planear, Executar e Rever. São as três fases do processo cíclico da autorregulação da aprendizagem. Aplique-as nas várias tarefas, quanto mais vezes incentivar este ciclo, maior será a estimulação do desenvolvimento das competências de autorregulação na aprendizagem. Isto quer dizer que, estará a ajudar o seu filho a tornar-se um aluno cada vez mais autónomo, responsável e autoconfiante. 

 Joana Marques 

 

Qual foi o interesse que este artigo teve para si?

0
0,0 rating
0 em 5 estrelas (total de 0 avaliações)
Excellent0%
Very good0%
Average0%
Poor0%
Terrible0%

There are no reviews yet. Be the first one to write one.

Joana Marques
Joana MarquesPsicóloga Educacional
Load More Posts
Newsletter 3

A NOSSA NEWSLETTER

PODE MUDAR-LHE A VIDA

  • Recheada de informações úteis da Psicologia para MELHORAR A SUA VIDA

  • É GRATUITA

  • GANHA logo um curso de RESPIRAÇÃO CALMANTE

  • Só lê se quiser

  • De PRESENTE, também recebe um GUIA para o conforto do SISTEMA NERVOSO

  • Desiste quando quiser (mas nós ficamos tristes…)

  • Fica a saber mais de Psicologia do que o seu vizinho

  • Ninguém sabe que a recebe

  • Não se arrisca a perder os nossos PRESENTES e PROMOÇÕES exclusivos

  • Sabe tudo primeiro do que os outros

2020-04-28T16:03:53+01:00Abril 29th, 2020|Crianças & Pais, Dicas, Joana Marques|
Go to Top