Será depressão? Um rastreio que dá respostas

Será depressão? Rastreio

A depressão caracteriza-se por um estado prolongado de tristeza e desinteresse pela vida. Quando estamos deprimidos, parece que temos uma nuvem densa de tristeza que cobre a nossa vida. A coisa mais pequena torna-se difícil de fazer e actividades que anteriormente nos eram queridas e agradáveis são abandonadas, ao mesmo tempo que nos sentimos invadidos por um enorme cansaço persistente e falta de energia.

A depressão vem, também, acompanhada de perda ou aumento de apetite, alterações nas horas de sono e diminuição do desejo sexual. Tudo isto começa a funcionar como uma bola de neve e faz-nos acreditar que somos inúteis, sem valor, incapazes, deixando-nos sem auto-estima. Por vezes, nalguns casos, surgem mesmo pensamentos ligados ao suicídio.

Alguns mitos

Existe alguma tendência social para se dizer que as pessoas deprimidas são simplesmente preguiçosas e não têm força de vontade. Porém, isto não é verdade – estar deprimido não é ser preguiçoso ou não lutar por se sentir melhor; muitas vezes, é precisamente o facto de a pessoa estabelecer um padrão de exigência pessoal tão alto que a faz sentir-se a falhar e contribui para que se sinta pior. Além disso, algumas pessoas são mais vulneráveis do que outras à presença de depressão, devido a influências hereditárias ou experiências precoces complicadas.

Chamamos, ainda, à atenção para outra questão: muitas vezes, tendemos a assumir que a depressão significa estarmos tristes e achamos que se estivermos tristes, maior será a probabilidade de deprimirmos. Porém, mesmo que não seja agradável sentir tristeza, ela não é sinónimo de depressão. Sentir tristeza é uma emoção adaptativa em resposta a uma perda significativa e informa-nos acerca de necessidade de nos recolhermos e sermos acolhidos por quem gostamos. Permite-nos receber daqueles que nos rodeiam ou dar a nós mesmos colo e conforto às nossas fragilidades. É esta capacidade de nos entristecermos que nos protege de deprimirmos. Isto porque na depressão, o que acontece é exatamente o oposto. Tentamos sistematicamente fugir da tristeza, construir coisas em cima dela para não a sentirmos. Mas quanto mais a procuramos silenciar, mais nos distanciamos desta emoção que é fundamental vivenciarmos perante os acontecimentos dolorosos da nossa vida. Na realidade, quando as emoções estagnam, é como se ficássemos com uma dor engaiolada dentro de nós que não nos deixa libertar da sensação de perda e vazio, nem nos autoriza a procurar outras pessoas. E a energia que mantermo-nos assim nos consome deixa-nos absolutamente exaustos. Independentemente de as opiniões se repartirem quanto à sua origem, sabemos hoje que a depressão se mantém com base no comportamento que decorre de todos estes pensamentos negativos, e de um bloqueio que se forma dentro de nós que nos impede de viver a nossa tristeza de uma forma saudável.

Sintomas

De uma forma resumida, a depressão caracteriza-se pelos seguintes sintomas, geralmente presentes durante mais de duas semanas:

Emocionais Físicos
  • Tristeza
  • Ansiedade
  • Aborrecimento/preocupação
  • Culpa
  • Sensação de não ter valor
  • Irritabilidade
  • Desesperança
  • Alterações repentinas de humor
  • Sensação de que nada nos dá prazer
  • Sensação de distanciamento emocional das pessoas que nos rodeiam
  • Sentir-se só
  • Insatisfação com a vida em geral
  • Sensação de vazio
  • Perda de peso (sem dieta) ou aumento de peso significativo
  • Diminuição ou aumento do apetite quase todos os dias
  • Insónia ou hipersónia (necessidade de dormir muito) quase todos os dias
  • Inibição/lentidão de movimentos
  • Agitação
  • Náuseas, alterações gastrointestinais
  • Fadiga ou perda de energia quase todos os dias
  • Irregularidades no ciclo menstrual
Comportamentais Pensamentos
  • Crises de choro
  • Isolar-se
  • Fechar-se em casa
  • Evitar novas actividades
  • Ataques de zanga
  • Inércia
  • Perda de interesse pela aparência física
  • Ausência de realização de actividades que davam prazer
  • Incapacidade de lidar com as tarefas diárias
  • Diminuição da capacidade de atenção, concentração, memória e tomada de decisão
  • Consumo de álcool e drogas
  • Comportamentos de auto-mutilação
  • Sentir-se um falhado
  • Auto-criticar-se frequentemente
  • Pensamento de que não é possível ser ajudado
  • Pessimismo em relação ao futuro
  • Pensamentos sobre a morte e ideias de suicídio
  • Perda de confiança e auto-imagem negativa
  • Pensamento de que se odeia a si próprio
  • Pensamentos enviesados

 

Saber mais?

Saber mais sobre depressão

Sair da depressão?

Psicólogos Clínicos?

Curso para Psicólogos Clínicos

Marcar consulta?


PortugalAngola

LuandaOP Online
AdultoCriançaCasal

Belo HorizonteOP Online
AdultoCriançaCasal
AdultoCriançaCasal


Ao usar este formulário, concorda com o armazenamento e o gerenciamento dos seus dados por este site.

Ana Rosa
Ana RosaPsicóloga Clínica
Mostrar mais Artigos
2018-03-03T14:17:46+00:00Abril 7th, 2017|Ana Rosa, Depressão|
Translate »