Permite-se sentir?

Permite-se sentir?Espiral depressiva – como saímos daqui?

Existe ainda uma resistência expressiva na forma como se olha para a relação entre a mente e o corpo. Prova disso é a facilidade com que validamos uma queixa física, e nos tornamos incompreensivos perante uma queixa psicológica. Esta incompreensão surge comumente associada à ideia do “quão difícil é explicar aquilo que ninguém consegue ver”, principalmente se falarmos de estados emocionais como a tristeza, a desmotivação ou a angústia.

Embora os sentimentos de tristeza e vazio sejam os mais relatados em estados depressivos, existe um conjunto de alterações associadas, nomeadamente a perda de capacidade de experimentar prazer em atividades habituais, perda de energia, dificuldades de concentração, irritabilidade, diminuição do nível de motivação e vitalidade, pensamentos negativos, baixa autoestima, perturbações a nível do sono (insónia ou hipersónia), diminuição da líbido e da função sexual, entre outras.

A falta de validação e/ou apoio perante a manifestação de alguns destes sintomas, leva a que muitas pessoas se isolem e escondam aquilo que realmente sentem. O problema está nas consequências dessa omissão, resultando frequentemente na intensificação da experiência desses sintomas e na conversão de uma espiral viciosa.

Como saímos daqui?

A experiência de estados depressivos é acompanhada, a nível neurológico, pela hiperativação do hemisfério cerebral direito e pela hipoativação do hemisfério cerebral esquerdo. Se por um lado, o hemisfério esquerdo está associado à expressão de emoções favoráveis e à distinção entre emoções e pensamentos, o hemisfério direito, está associado à expressão de emoções desfavoráveis, respostas de evitamento e de passividade.

Uma estratégia capaz de reverter este ciclo, compreende a ativação de um circuito motivacional de esforço-recompensa, que cruza um delineamento de tarefas e objetivos realistas e realizáveis. A sua concretização bem-sucedida, irá, consequentemente, desencadear uma intensificação da atividade do córtex pré-frontal esquerdo, resultando num aumento da experiência de emoções agradáveis, sensação de controlo e autoestima e a possibilidade de repetição do comportamento.

Esta será uma das estratégias que iremos abordar e pôr em prática no grupo terapêutico “Depressividade e Desmotivação”, que terá início no dia 6 de maio. Se ficou curioso/a, venha participar! Mais informação em: https://www.oficinadepsicologia.com/psicoterapia-para-todos-os-bolsos/

Qual foi o interesse que este artigo teve para si?

0,0
Rated 0 out of 5
0 em 5 estrelas (total de 0 avaliações)
Excellent0%
Very good0%
Average0%
Poor0%
Terrible0%

There are no reviews yet. Be the first one to write one.

Isabel Valada Pinto
Isabel Valada PintoPsicóloga Clínica
Newsletter 3

A NOSSA NEWSLETTER

PODE MUDAR-LHE A VIDA

  • Recheada de informações úteis da Psicologia para MELHORAR A SUA VIDA

  • É GRATUITA

  • GANHA logo um curso de RESPIRAÇÃO CALMANTE

  • Só lê se quiser

  • De PRESENTE, também recebe um GUIA para o conforto do SISTEMA NERVOSO

  • Desiste quando quiser (mas nós ficamos tristes…)

  • Fica a saber mais de Psicologia do que o seu vizinho

  • Ninguém sabe que a recebe

  • Não se arrisca a perder os nossos PRESENTES e PROMOÇÕES exclusivos

  • Sabe tudo primeiro do que os outros

Go to Top