O que é que queres ser quando fores grande? E o que podes ser?

O que é que queres ser quando fores grande?A pergunta “O que queres ser quando fores grande?” certamente já foi feita e respondida por quase todos nós, em alguma situação na nossa vida. A maior parte das crianças irá responder a esta pergunta com algo fantasioso (treinador de dragões) ou com a profissão dos pais, por exemplo. Independentemente da resposta, há um brilho nos olhos delas, característico de crianças que sentem que todos os seus sonhos podem tornar-se realidade, porque de facto têm todo o potencial e possibilidades para os concretizar. Confesso, que considero isso uma qualidade, uma que devemos inclusive cultivar, para que nunca deixem de sonhar alto.

Não obstante, à medida que vão crescendo, serão confrontadas com escolhas, como o curso que querem seguir no secundário ou na faculdade e é nesses momentos, que a resposta àquela pergunta, já não é tão certa, nem tão segura e fará surgir dúvidas em relação ao futuro, que parece mais incerto. Este fenómeno, que se vai tornando cada vez mais comum, traz consigo sentimentos de frustração, tristeza e ansiedade, aparecendo, inclusive, ligado a perturbações de saúde mental, nomeadamente a depressão.

Estes resultados são menos surpreendentes quando temos em conta a pressão que se impõe aos jovens para: ter boas notas, média alta, entrar no que é percecionado como um “bom curso”, numa faculdade de prestígio ou ter um emprego onde se ganha um salário alto. Essa pressão aumenta geralmente com a idade e, por conseguinte, aumenta o peso das decisões a tomar, especialmente na faculdade, pois se um estudante “errar” na escolha de curso e decidir mudar, isto é interpretado como a “perda” de um ano, o que contrasta, curiosamente, com a melhoria dos resultados, satisfação e motivação que se verifica nos casos de pessoas que trocam para algo que preferem.

No centro desta questão, estão os serviços de orientação vocacional, que procuram proporcionar à criança, adolescente ou jovem adulto, uma ideia mais clara das diversas opções das quais dispõem, auxiliando nas importantes escolhas para o futuro, procurando reduzir o sofrimento associado às mesmas. Estas intervenções têm de resto, sido comprovadamente eficazes na facilitação da escolha de carreira e melhores resultados de carreira.

O futuro passa por olhar para as crianças, cada vez mais enquanto futuros cidadãos e não apenas enquanto alunos, porque alunos apenas o vão ser durante um par de anos, cidadãos sê-lo-ão para a vida e são elas quem irá moldar o futuro da sociedade.

O que deixa o seu filho ser, quando for grande?

Qual foi o interesse que este artigo teve para si?

5
Rated 5 out of 5
5 em 5 estrelas (total de 1 avaliações)
Excellent100%
Very good0%
Average0%
Poor0%
Terrible0%
07/08/2022

Creio que a escola ensina muito para tirar notas e relativamente pouco para ser um cidadão ativo, participativo, crítico, comunicativo, e feliz.

Talvez seja necessário um novo paradigma na forma de ensinar e aprender para se formarem cidadãos que não sejam apenas peças de uma engrenagem consumista, mas que se saibam integrar numa vida com mais sentido

José Sequeira
Francisco Mano
Francisco ManoPsicólogo Clinico
Newsletter 3

A NOSSA NEWSLETTER

PODE MUDAR-LHE A VIDA

  • Recheada de informações úteis da Psicologia para MELHORAR A SUA VIDA

  • É GRATUITA

  • GANHA logo um curso de RESPIRAÇÃO CALMANTE

  • Só lê se quiser

  • De PRESENTE, também recebe um GUIA para o conforto do SISTEMA NERVOSO

  • Desiste quando quiser (mas nós ficamos tristes…)

  • Fica a saber mais de Psicologia do que o seu vizinho

  • Ninguém sabe que a recebe

  • Não se arrisca a perder os nossos PRESENTES e PROMOÇÕES exclusivos

  • Sabe tudo primeiro do que os outros

Go to Top