Quero ser o/a melhor!

Quero ser o/a melhor!Já quis ser o/a melhor em algum aspeto da sua vida? Aumentar a sua performance no trabalho, no desporto ou no seu relacionamento e por mais que tivesse tentado, aquele objetivo parecia-lhe cada vez mais difícil de alcançar? Talvez não tenha querido ser o/a melhor, mas já quis ser melhor do que era antes? Ter alta performance implica produtividade, que é afetada pelo stress a que estamos submetidos.

O stress é muitas vezes visto como algo que nos impede de completar tarefas ou de alcançar os nossos objetivos. Porém, isto nem sempre é o caso.  E se eu lhe dissesse que o stress pode, na realidade, aumentar a nossa performance?

Pesquisas indicam que níveis moderados de stress levam a um aumento de performance. Isto acontece porque o stress aumenta a nossa atenção e concentração, consequentemente aumentando a performance numa determinada tarefa.

Porém, níveis de stress insuficientes ou excessivos têm o efeito contrário: a diminuição de performance. Níveis insuficientes de stress deixam-nos relaxados e podem levar a procrastinação. Altos níveis de stress desencadeiam sintomas de ansiedade – constante preocupação e falta de concentração, – levando assim a uma redução de performance.  Esta é conhecida como a lei de Yerkes-Dodson (para os mais curiosos).

Como encontrar o seu nível ideal de stress?

O melhor ponto de partida é olhar para a tarefa a realizar. Pesquisas indicam que o ponto de rotura é mais cedo em tarefas mais complexas. Por exemplo, imaginemos um corredor de velocidade e um jogador de futebol. A tarefa do corredor é correr o mais rápido possível em linha reta – uma tarefa relativamente simples. Porém, um futebolista durante a marcação de um penálti, necessitará de coordenação e concentração. Para o jogador de futebol o ponto de rotura será mais cedo, porque a tarefa é mais complexa – ou seja, – o jogador de futebol terá um melhor desempenho se os seus níveis de stress forem menores.

 

Quanto menos complexa for (ou lhe parecer) a tarefa mais tarde será o seu ponto de rotura, e mais o stress será benéfico para melhorar o seu desempenho. Contrariamente para tarefas que lhe parecerem mais complexas, o melhor é optar por níveis de stress mais baixos.

Demasiado stress afeta a minha performance. O que fazer?

  • Aja assertivamente: aprenda a dizer que não. É importante dizer que não quando somos confrontados com pedidos que não nos parecem razoáveis ou quando não dispomos de tempo para os realizar.
  • Defina prioridades: nem todas as atividades têm o mesmo nível de importância. Pergunte-se ‘’com base nos meus valores, o que é mais importante fazer? O que é mais urgente?’’
  • Diversifique: é comum acharmos que temos demasiadas tarefas para realizar e que não temos tempo para relaxarmos ou divertirmo-nos. Lembre-se da curva do stress: demasiado stress irá prejudicar a sua performance. Como tal, planear uma atividade que reduza o seu nível de stress, irá torná-lo mais produtivo quando regressar ao seu objetivo.
  • Foque-se na resolução do problema e não no problema em si. Comece por classificar cada problema em 3 categorias: não importantes; importantes, mas fora do meu alcance; e importantes e dentro do meu alcance. Irá notar que classificando os problemas desta forma, terá mais tempo para se focar no que pode realmente resolver.
  • Dedique tempo para apreciar o trabalho que foi feito. Muitas vezes, passamos de tarefa para tarefa e parece que o que temos para fazer nunca tem fim. Por exemplo, faça uma lista e assinale, no final, cada tarefa cumprida. Asseguro-lhe que esta simples tarefa lhe trará um sentimento de satisfação e reduzirá o seu stress.

 Baixos níveis de stress (procrastinação) afetam a minha performance. O que fazer?

  • Crie objetivos. Escreva o que gostaria de alcançar esta semana e os passos necessários para atingi-lo. Comece com um objetivo de cada vez, queremos aumentar os níveis de stress e vencer a procrastinação, mas mantendo-nos dentro do ‘’ stress saudável ‘’. Não se esqueça de definir um prazo para cada objetivo.
  • Planeie a sua agenda para a próxima semana, o ser humano é mais suscetível de iniciar uma atividade se a tiver preparado previamente.
  • Experimente a regra dos 5 minutos: quando tiver de fazer uma tarefa que não lhe apeteça diga a si mesmo que a vai fazer simplesmente por 5 minutos, e que pode parar depois destes 5 minutos: muitas vezes esses 5 minutos são o suficiente para que vença a procrastinação.

Em conclusão, o stress pode ser prejudicial para a nossa performance (se for extremamente baixo ou alto) ou beneficial (se em níveis médios). Porém, isto vai depender também da complexidade da tarefa. Identifique o que afeta a sua performance e experimente uma das soluções acima mencionadas. Caso já tenha experimentado alguma destas estratégias ou tenha alguma dúvida não hesite em deixar o seu comentário.

Qual foi o interesse que este artigo teve para si?

4.5
4,5 rating
4.5 em 5 estrelas (total de 2 avaliações)
Excelente!50%
Muito bom50%
Assim, assim0%
Fraco0%
Péssimo0%
17/05/2019

Great material

Luna
16/05/2019

Informações de grande importância, principalmente em relação a vivência neste mundo líquido.

Maria de Lourdes Medeiros
Newsletter 3

A NOSSA NEWSLETTER

PODE MUDAR-LHE A VIDA

  • Recheada de informações úteis da Psicologia para MELHORAR A SUA VIDA

  • É GRATUITA

  • GANHA logo um curso de RESPIRAÇÃO CALMANTE

  • Só lê se quiser

  • De PRESENTE, também recebe um GUIA para o conforto do SISTEMA NERVOSO

  • Desiste quando quiser (mas nós ficamos tristes…)

  • Fica a saber mais de Psicologia do que o seu vizinho

  • Ninguém sabe que a recebe

  • Não se arrisca a perder os nossos PRESENTES e PROMOÇÕES exclusivos

  • Sabe tudo primeiro do que os outros