Marisa Gamboa

Marisa Gamboa

“Comprimidos aliviam a dor, mas só o amor alivia o sofrimento.”
Patch Adams – O Amor é Contagioso

A Associação Internacional para o estudo da dor (IASP) define dor como uma experiência sensorial e emocional desagradável associada a danos potenciais nos tecidos, ou é descrita como se fosse um desses danos.

Na verdade, é um fenómeno psicológico, isto é, resultado de uma sensação física modulada pelas emoções com inúmeras dimensões associadas, físicas, sociais e espirituais.

Isto significa que a dor não é apenas uma sensação mas sim um fenómeno rico e complexo que envolve emoções e outros componentes que lhe estão associados, devendo ser encarada segundo um modelo biopsicossocial; Encontramos na dor um processo subjectivo, dada a forma como cada um a vive, a intensidade que espelha, o medo que revela e a forma como a combate. Não existindo marcadores biológicos que a permitam caracterizar objectivamente a dor – a mesma revela caminhos bem diferentes de individuo para individuo, dependendo da sua personalidade, contexto, momento!

Frida Kahlo é um bom exemplo sobre a dor: representa nas suas obras, amor, as suas raízes, a dor física, a dor psíquica por toda uma intensidade e imensidade no seu sofrer. A dor, em Kahlo é retratada através cores vibrantes e intensas, com uma característica profundamente visceral:

– Um coração que sofre, um ventre que sangra, uma coluna partida, um olhar impassível que observa e é observado. A dor é quase tão quente, intensa e vibrante como a sua própria vida, como a sua própria história. O seu mundo pictórico, o seu sangue artístico, parece superar e transformar a dor. Kahlo é a mulher que se reconstrói de forma poética e mágica!

O limiar da dor pode ser exacerbado por insónia, fadiga, ansiedade, medo, raiva, depressão, isolamento, abandono, tristeza. Mas a dor pode ser reduzida pelo alívio dos sintomas como o sono, o descanso, a simpatia, a compreensão, o aumento do humor, o uso de analgésicos, ansiolíticos, anti-depressivos, e co-analgésicos.

Posso sentir dor? Em que dimensões? Posso expressá-la? Como? A quem? Como expressar algo que muitas vezes não consigo explicar?