O sono na depressão

O sono na depressãoUm dos sintomas da depressão é precisamente um padrão de sono alterado. Curiosamente, tanto pode caracterizar-se por hipersónia – mais horas de sono do que o habitual e considerado como “normal” – ou por insónia.

É frequente, nas pessoas que estão a passar por um episódio de depressão terem insónia de manutenção, o que significa que não têm problemas a adormecer, mas acordam muito cedo, ou intermitentemente durante a noite, e têm dificuldade em voltar a adormecer. O mais comum, neste acordar antes do tempo, é acordarem durante a fase REM de sono, que é crítica para a integração das novas aprendizagens na memória de longo prazo e, acredita-se, para uma “digestão” saudável das emoções.

Num sono de depressão, a fase REM ocorre mais cedo (habitualmente, surge após hora e meia depois de adormecermos) e permanece mais tempo. Quando se corrigem os hábitos de sono, ajuda-se, em conjunto com outras intervenções terapêuticas e mesmo psicofarmacológicas, a criar as condições para que o cérebro se re-equilibre e saia da depressão.

Quando o problema são insónias nos adultos

Programa de intervenção nas insónias

Quando o problema é o sono dos mais pequenos

Problemas de sono nos mais pequenos
Madalena Lobo
Madalena LoboCEO; Psicóloga Clínica e da Saúde
2017-12-18T10:33:08+00:00Madalena Lobo, Sono|
Go to Top