Carta do seu Eu futuro

Carta do seu Eu futuroQuando ambicionamos a mudança é fácil perdermo-nos em devaneios, sobretudo quando o que queremos é partir de um sítio de mal-estar para um sítio de bem-estar. Projectar sonhos, pensar no “ai quem me dera”, ruminar no “tirem-me daqui”, ambicionarmos a vida perfeita que imaginamos nos outros,.. Tudo isto é quase automático, em pensamentos que ficam a traço tão fino que não se conseguem visualizar. E o que não se vê, não nos mobiliza nem dá norte.

E quando conseguimos arrumar uma ideia muito clara do ponto onde queremos chegar? Por vezes fica um fosso, daqueles que até poderiam ter crocodilos lá dentro, porque de grande que é, nenhuma célula do nosso corpo se propõe a travessia. “Vou emagrecer 20 quilos”. “Vou chegar ao topo da carreira”. “Vou construir relações gratificantes e plenas”. Está bem, mas como? E assim que me defrontar com um obstáculo – porque são inevitáveis, nenhum gráfico de progresso é uma curva direitinha rumo ao sol – faço o quê? Desmoralizo porque só estava a contar, aqui na minha imaginação optimista, com o cenário desejado?

Por tudo isto, é importante sabermos projectar a mudança que desejamos. Por isso, hoje proponho-lhe um exercício que o vai ajudar a fazer isso mesmo. Previno já que tem de trabalho – isto sem trabalhinho raramente se chega seja lá onde fôr 🙂 Arranje um papel e caneta ou, em época de tecnologias, abra já um editor de texto.

 

1ª parte

Tire uns momentos para um pequeno exercício de visualização, em que se vai projectar no futuro. Imagine-se dentro de 5 ou 10 anos. Ou 20 ou 30, claro, depende da sua idade e daquilo a que se propõe. Se estiver a projectar o seu Eu futuro em mais do que uns 15 anos, é melhor ir  a este website  ou semelhante ou descarregar para o seu telemóvel uma app como o AgingBooth (que permitem imaginar a sua imagem após a progressão da idade) e carregue uma foto sua. Guarde a foto do seu eu futuro ou imprima-a. Imagine-se vividamente, com a idade correspondente, dedicando uns minutos para compor o quadro mental: o que se modificou no seu aspecto físico, o que tem vestido, quem o rodeia, onde vive, o que faz profissionalmente e ocupacionalmente, como passa o seu tempo livre, como se modificou a sua estrutura familiar, etc.

 

O que deve guiar a sua visualização é um optimismo realista, isto é, a convicção de que ultrapassou as suas dificuldades actuais e conseguiu criar um futuro de maior liberdade e mais alinhado com os seus valores fundamentais, mas conduzido por noções de realidade em relação às suas competências e às oportunidades possíveis que lhe são proporcionadas pelo seu contexto. Por exemplo, não vale imaginar-se daqui a 5 anos com mais 4 filhos, a viver num palácio  das arábias, e dono de um império concorrente do do Bill Gates…

 

Componha, na sua cabeça, o quadro todo, nos seus mais ínfimos pormenores, e vá-o afinando ao longo dos próximos dias, até se dar por satisfeito.

 

2ª parte

Escreva os primeiros parágrafos de uma carta do seu Eu futuro, aquele que imaginou, para o seu Eu presente. Nestes primeiros parágrafos vai falar detalhadamente sobre a vida que leva, dentro desses anos no futuro. Explique as coisas que faz, os desafios que enfrenta, os sucessos que teve e tem, o que o conforta e deixa orgulhoso, a sua vida do dia a dia, com quem lida,… Escreva tudo o que gostaria, à data de hoje, de saber sobre a sua vida futura.

 

3ª parte

Quando sentir que já mostrou tudo o que é importante sobre a pessoa que é no futuro e como vive a sua vida, ocupe-se dos próximos parágrafos, que são dedicados a explicar, pormenorizadamente, as barreiras que teve de ultrapassar para chegar onde chegou: o que fez, que dificuldades teve e como as ultrapassou, como resolveu os problemas que se lhe foram colocando para percorrer o caminho entre o momento presente e o momento futuro, de onde está a escrever. Seja um bom professor de si próprio e explique exactamente o que foi acontecendo até chegar a esse futuro que construíu. Claro que haverá situações que lhe vão dar um bocadinho de trabalho mental para as desconstruir – como é que terá feito para passar do ponto A para o ponto B, mas esse é precisamente o grande objectivo último deste exercício, que permite começar a dar corpo e a solidificar de uma forma realista e prática o processo de mudança na direcção desejada.

 

Este exercício é dinâmico e deve ser feito ao longo de alguns dias, para lhe permitir voltar a ele e ir fazendo afinações, incluir novos dados de que, entretanto, se lembrou, novas estratégias de resolução de desafios que vai antevendo, etc.

 

Quando achar que já tem uma versão bastante final da carta do seu eu futuro para o seu eu actual, coloque-a num local acessível e visível, para que possa ir-lhe dando uma vista de olhos regularmente e, assim, ajudar-se a si próprio a manter-se focado no caminho pretendido.

 

Madalena Lobo
Madalena LoboCEO; Psicóloga Clínica e da Saúde

Marque consulta comigo

Pretendo: (obrigatório)
Marcação de ConsultaInformações ou Reunião



Ao usar este formulário, concorda com o armazenamento e o gerenciamento dos seus dados por este site.

Mostrar mais Artigos
2018-02-18T10:37:11+00:00Outubro 14th, 2017|Desenvolvimento Pessoal, Madalena Lobo|
Translate »